Bebês andando na ponta dos pés: quando se preocupar

Você já viu alguma criança andando na ponta dos pés, como se fosse uma bailarina?

O andar na ponta dos pés é caracterizado quando a criança não realiza o contato do calcanhar ao solo durante a marcha, sendo muito comum na infância, quando a criança está aprendendo a andar e dando seus primeiros passos.

Entretanto, pode ser revertida naturalmente até os dois anos de idade ou, dependendo do caso, com tratamento especializado.

QUAIS AS CAUSAS?

A marcha na ponta dos pés acontece em quase 24% na população pediátrica, em geral, sendo uma queixa relativamente frequente nos consultórios médicos. Porém, a causa ainda é desconhecida.

COMO É FEITO O DIAGNÓSTICO?

O diagnóstico deve considerar se a marcha na ponta dos pés está associada a uma criança com o desenvolvimento psicomotor adequado, conhecida como marcha idiopática, ou quando a criança possui algum sinal de outra patologia.

Esse diagnóstico é formado por exclusão e feito por um especialista, e só pode ser definido na ausência de sinais de doença neurológica ou psiquiátrica, esquelética, reumatológica, metabólica ou a do colágeno.

QUAL O PAPEL DA AVALIAÇÃO CLÍNICA?

Durante uma avaliação clínica, é essencial observar o comportamento da criança: a marcha (andar, correr, saltar), deformidades em membros inferiores, massa muscular, alinhamento das pernas e pés, encurtamentos musculares e a amplitude dos movimentos.

Vale ressaltar que, quando a criança possui algum sinal de outra patologia, a avaliação se torna ainda mais criteriosa.

QUAIS OS PRINCIPAIS TRATAMENTOS?

Diante disso, existem diversos tratamentos para este caso que devem ser determinados devido aos achados clínicos. Dentre essas opções, podem possuir tratamentos mais conservadores a tratamentos mais invasivos, como:

– Fisioterapia;

– Uso de calçados adequados;

– Órteses e Talas;

– Toxina Botulínica tipo A;

– Cirurgia.

A FISIOTERAPIA NO TRATAMENTO

A fisioterapia tem um papel fundamental e o seu início precoce pode prevenir consequências causadas pela marcha na ponta dos pés.

O tratamento fisioterapêutico compreende alongamento de musculaturas, mobilização articulares, fortalecimento muscular, treino de marcha associado ao equilíbrio, coordenação e consciência corporal.

Dra Bruna Franciele Galdino
CREFITO: 318608-F 
Fisioterapeuta especializada em Terapia Manual e Grupo Funcional
Unidade de Tremembé